Please reload

Posts Recentes

Desenvolvimento infantil: Primeiro Setênio

June 9, 2017

1/3
Please reload

Posts Em Destaque

Desenvolvimento infantil: Primeiro Setênio

June 9, 2017

 

 

Segundo a Pedagogia Waldorf, criada por Rudolf Steiner há quase 100 anos, o desenvolvimento de um ser humano divide-se em setênios e, em cada um deles, as manifestações de atividades possuem focos diferentes.

 

No primeiro setênio, que compreende o período de 0 a 7 anos, a criança prioriza suas energias no desenvolvimento do seu físico e, portanto, está em constante atividade corporal que, dependendo de sua intensidade, o capacita para atuar, na vida adulta, no âmbito cultural-intelectual.

 

Nesta fase, a criança absorve tudo o que lhe estiver ao alcance e ela vive de maneira ingênua em relação à distinção do que é bom ou ruim. Seus órgãos estão atentos aos estímulos e, através da repetição dos mesmos, reage no externo a partir da imitação. Mesmo ainda sem consciência, começa-se a ser moldada sua futura moralidade.

 

O desenvolvimento do corpo físico depende do ambiente no qual a criança está inserido e os estímulos presentes são os responsáveis por influenciar seus órgãos internos e o seu psicológico. Isto significa que a sua saúde depende, em grande parte, do que lhe foi oferecido nesta fase.

 

Os três primeiros anos de vida da criança representam uma mente absorvente ainda inconsciente, cujos aprendizados ficam gravados no cérebro para serem usadas posteriormente. Neste período, a criança conquista o andar ereto, a fala e inicia o processo do pensamento. É portanto, a fase considerada a mais importante da vida e que diferencia os seres humanos dos demais animais. Neste sentido, o acompanhamento educacional deve ser focado e atender as necessidades básicas com o mínimo de interferências em tais processos únicos e naturais.

 

Entre dois e três anos de idade, inicia-se a fase no qual a criança se percebe como indivíduo e muitas vezes, mal interpretados na sua busca para entender o seu “eu próprio”, são taxadas de teimosas. Em torno dos três a quatros anos, já no jardim de infância, a criança aprende a conviver socialmente mostrando grande capacidade de uso de pensamentos arbitrários, mas muitas vezes retratando o que chamamos de “fantasia infantil”, no qual o ato de brincar é influenciado por imitação e fantasia. Nesta fase, percebe-se grande uso das mãos, braços e domínio da respiração.

 

Por volta dos cinco anos de idade, inicia-se uma nítida organização das brincadeiras no qual as imitações se tornam mais fiéis à realidade e a percepção do que já aconteceu, do que está acontecendo e do que está por vir já se faz presente. Entre cinco e seis anos, as crianças já estão mais ágeis na utilização das pernas e pés.

 

No primeiro setênio, a criança ainda não desenvolveu sua capacidade de raciocínio e, portanto, o educador não deve focar pela compreensão, mas utilizar da repetição para o incentivo a imitação. É por este motivo que o ritmo diário torna-se uma chave para que o indivíduo se torne sadio na vida adulta.

 

Pensando nas características do desenvolvimento da primeira infância, o ÍRIS JARDIM procura criar um ambiente propício para a formação desses indivíduos, fazendo dele uma extensão do lar, dando especial importância à qualidade dos fenômenos e objetos que irão influenciar a formação e desenvolvimento dos órgãos dos sentidos.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Arquivo
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square